[views count="1" print="0"]

Prefeitura apresenta superávit de mais de R$ 22 mi

A Prefeitura de Montes Claros apresentou à Câmara Municipal, a prestação de contas do município referente ao segundo quadrimestre de 2023.

A Prefeitura de Montes Claros apresentou à Câmara Municipal, a prestação de contas do município referente ao segundo quadrimestre de 2023. O evento foi realizado na manhã desta quinta-feira contou com a participação de membros da Secretaria Municipal de Finanças do município e de vereadores. De acordo com as informações passadas, o Município apresentou superávit financeiro de pouco mais de R$ 22 milhões. A prestação de contas mostrou déficit na receita de Capital, entre o valor previsto e o realizado no período, referindo-se a não efetivação de valores relativos a convênios: federal e estadual e; alienação de bens. A receita realizada foi de R$ 1.112.973.602,66 e a despesa empenhada R$ 1.090.814.849,97; o que resultou num superavit financeiro de R$ 22.158.752,69.

O secretário municipal de Finanças, William César Rocha voltou a explicar em relação às despesas de Capital referente à Prevmoc, que apesar da fixação anual prevê repasse de R$ 38 milhões, já foi empenhado e comprometido pelo município o repasse de R$ 40.871.790,18. “Lembro que os senhores [vereadores] aprovaram nesta Casa uma lei que vai resolver o problema do Prevmoc. Enquanto não resolver a questão previdenciária, em que os novos servidores contribuirão, o município arcará com o valor. É claro que precisam ser buscadas novas estratégias para fomentar e fortalecer o Prevmoc para o futuro. Enfim, tudo isto garante a segurança para os servidores ativos, inativos e pensionistas”, explicou o secretário.

O segundo-secretário da Câmara e presidente da Comissão de Finanças, Orçamento e Tomada de Contas, Wilton Dias, do PTB e; os vereadores Valdecy Contador, do Cidadania e Daniel Dias, do PC do B, questionaram o setor de Iluminação Pública em relação à extensão de rede, à contratação de empresa para prestar o serviço e, em relação à contratação de mais profissionais para trabalhar no setor do Município ou ainda redução no valor da taxa de iluminação. O secretário municipal de Finanças, William César explicou que o município tem dinheiro para realizar o serviço, mas as empresas contratadas não prestam o serviço adequado ou não concluí as obras. “Toda a contratação envolve questões político-administrativas dada a complexidade dos projetos a serem executados”, comentou.

Os vereadores Professora Iara Pimentel, do PT e Daniel Dias, do PCdoB, falaram sobre a necessidade do pagamento do Piso Nacional da Educação integral referente a 25 horas, bem como o pagamento retroativo a janeiro de cada ano e não ao mês de maio, como ocorreu neste ano. Cobram ainda a prestação de contas detalhada da Educação, como já ocorre com a Saúde. A vereadora Graça da Casa do Motor, do União Brasil, perguntou sobre a possibilidade de se fazer um Refis para o IPTU, dada à baixa arrecadação do imposto. O secretário de Finanças explicou que, juridicamente, não há nenhuma possibilidade, sobretudo diante dos rígidos critérios previstos no artigo 14, da Lei de Responsabilidade Financeira (LRF).

O presidente da Comissão de Legislação, Justiça e Redação, vereador Aldair Fagundes, do Cidadania, falou sobre a possibilidade de mudança na Lei Orgânica Municipal (LOM) com previsão de digitalização dos documentos da Prestação de Contas do Executivo. Perguntou ainda se a queda do Fundo de Participação do Município (FPM) poderá comprometer as contas de Montes Claros. William César esclareceu que em Montes Claros não há essa preocupação e destacou o motivo de o município desenvolver ação para fortalecer a receita própria.

Prefeitura apresenta superávit de mais de R$ 22 mi
Vereadores tomaram conhecimento das finanças do Município em reunião no Plenário da Câmara Municipal

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Recomendadas a você

Vereadores destacam seminário que revela clima árido na região
Vereadorese revela clima árido na região
Minas Gerais larga na frente rumo à COP 30
Minas Gerais larga na frente rumo à COP 30
Bancada cobra ações para enfrentar a seca
Bancada cobra ações para enfrentar a seca
Santiago destaca união para construção de ponte
Santiago destaca união para construção de ponte
Amams celebra reconhecimento de emergência
Amams celebra reconhecimento de emergência
Montes-clarense assume presidência do CNPG
Montes-clarense assume presidência do CNPG
Condel da Sudene aprova financiamento do FNE
Condel da Sudene aprova financiamento do FNE
Dólar dispara para R$5,43 após desgaste de Haddad com Senado e discurso de Lula
Dólar dispara para R$5,43 após desgaste de Haddad com Senado e discurso de Lula
Prefeituras recebem R$ 3,9 bilhões de FPM
Minas cobra recursos de concessões ferroviárias proporcionais à sua malha
Lula defende taxação de super-ricos
Câmara homenageia Usina de Biocombustível Darcy Ribeiro
Amams sediará capacitação de programa para prefeituras
Vereadores destacam obras de mobilidade
Câmara quer aposentadoria especial para caminhoneiros
Prefeituras receberam primeiro FPM de junho
Prefeituras recebem R$ 3,9 bilhões de FPM
Minas cobra recursos de concessões ferroviárias proporcionais à sua malha
Vereadorese revela clima árido na região
Minas Gerais larga na frente rumo à COP 30
Região já tem municípios no clima árido