Governo garante R$ 6,7 bi às prefeituras

Presidente da Assembleia Legislativa destaca relevância dos recursos à saúde dos municípios

O presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), deputado Tadeu Martins Leite (MDB), mais conhecido por Tadeuzinho, do MDB, participou, na manhã dessa terça-feira, da assinatura do Termo Aditivo do Acordo do Fundo Estadual de Sa&a mp;u acute;de. Esse acordo, realizado entre o Governo de Minas e a Associação Mineira de Municípios (AMM) e homologado em 2021, com a participação de diferentes instituições, visa a garantir o pagamento de uma dívida relacionada a repasses da verba da saúde a municípios e instituições. O montante é de R$ 6,7 bilhões e algumas parcelas já foram pagas.

A solenidade foi realizada no Grande Teatro do Palácio das Artes, em Belo Horizonte, e contou com a presença de autoridades dos três Poderes, entre elas o governador Romeu Zema, do Novo, o vice-governador Professor Mateus, do Novo, parlamentares estaduais, prefeitos e desembargadores. Em sua apresentação, o secretário de Estado de Saúde, Fábio Baccheretti, disse que a assinatura representa um momento importante para o Sistema Único de Saúde (SUS) de Minas Gerais, com uma construção realizada entre várias instituições.

O titular da pasta destacou que a Lei Complementar 171, de 2023, foi uma inovação que está contribuindo para a autonomia do uso dos recursos pelos municípios. A lei foi sancionada em maio deste ano pelo governador em exercício e presidente da ALMG, que foi o primeiro signatário do Projeto de Lei Complementar (PLC) 18/23, de autoria coletiva de 40 parlamentares.

A norma dispõe sobre a transposição e transferência de saldos financeiros resultantes de parcerias e convênios firmados com o Estado e de saldos constantes dos fundos de saúde dos municípios, provenientes de repasses da Secretaria de Estado de Saúde (SES). Com a assinatura do termo aditivo ao acordo, os municípios que fizeram a adesão vão poder usar os recursos em qualquer área da saúde. Até então, as cidades tinham que usar as verbas exclusivamente para ações a que eram destinadas originalmente, as chamadas “verbas carimbadas”.

Em seu pronunciamento, o deputado Tadeu Martins Leite manifestou alegria pelo momento, que chamou de histórico, e parabenizou todos os envolvidos na articulação. Ele valorizou a participação dos deputados e das deputadas e afirmou que “o acordo que foi feito lá atrás se completa com a legislação aprovada na Assembleia de Minas”. O parlamentar acrescentou que o objetivo da norma foi reforçar o pacto federativo, dando liberdade e autonomia para quem conhece bem os municípios: os prefeitos e as prefeitas.

Ao finalizar sua fala, Tadeu Martins Leite fez uma citação atribuída ao co-fundador da Apple, Steve Jobs, para ressaltar a importância do trabalho coletivo e harmônico: “Coisas incríveis nunca são feitas por uma única pessoa, são feitas por um time”. O governador Romeu Zema afirmou que a liberdade para a utilização dos recursos é de “fundamental importância” e exemplificou que várias obras, como as de Unidades Básicas de Saúde (UBS) e de hospitais, vão poder continuar sendo feitas para atender a população mineira.

O chefe do Executivo fez coro à relevância do trabalho interinstitucional ao parafrasear um provérbio africano segundo o qual “sozinho vou mais rápido, mas juntos vamos mais longe”. O vice-governador Professor Mateus agradeceu a cada parlamentar que se envolveu na elaboração do projeto de lei e enalteceu a participação dos representantes dos municípios presentes na solenidade.

O presidente da AMM e prefeito de Coronel Fabriciano (Rio Doce), Marcos Bizarro, lembrou que os municípios seguem enfrentando dificuldades por falta de liberação de recursos repassados para a área de saúde e que estão “de pires na mão”. Ele elogiou o acordo porque permite que vários municípios movimentem os recursos até então “engessados”. O procurador-geral de Justiça, Jarbas Soares Júnior, disse que prevaleceu o bom senso com relação à construção do acordo para a liberação das verbas para a saúde.

Em entrevista à TV Assembleia, o 1º-secretário da ALMG, deputado Antônio Carlos Arantes, do PL, destacou que a Lei Complementar 171 é um exemplo das “grandes respostas que a Casa do povo tem dado à própria população”. Já os deputados Arlen Santiago, do Avante e Oscar Teixeira, do PP, comemoraram o destravamento dos recursos devidos aos municípios e a possibilidade de investimentos imediatos em ações como procedimentos de média e alta complexidade e compra de equipamentos.

Governo garante R$ 6,7 bi às prefeituras
Romeu Zema e Tadeu Martins Leite participam de solenidade no Palácio das Artes, em Belo Horizonte

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Recomendadas a você

Emenda que amplia salário será votada
Emenda que amplia salário será votada
Presidente da Amams é homenageado pela AMM
Presidente da Amams é homenageado pela AMM
Prefeitura entrega certidões de regularização fundiária urbana
Prefeitura entrega certidões de regularização fundiária urbana
Governo aumenta reajuste salarial para 4,62%
Governo aumenta reajuste salarial para 4,62%
Cidade terá programa Governança Corporativa
Cidade terá programa Governança Corporativa
Projeto prevê proteção à mulher vítima de violência
Projeto prevê proteção à mulher vítima de violência
Montes-clarense assume o TSE pela segunda vez
Montes-clarense assume o TSE pela segunda vez
Prefeitura presta contas na Câmara
Prefeitura presta contas na Câmara
Zema exalta posse de montes-clarense no TSE
Congresso destaca apoio do Governo às prefeituras
Estado apresenta soluções inovadoras para municípios
Vereadores pedem fim do lixão no bairro Canelas
Deputada do PL vai assumir Secretaria no governo Zema
TRE trabalha com foco nas eleições municipais
Último FPM de maio tem aumento de 20%
Deputados aprovam revisão dos salários para servidores
PC alerta para notícias falsas sobre carteira de identidade
TJMG participa do anúncio das obras de quartel dos Bombeiros
Polícia Civil lança site sobre desaparecimento de pessoas
Polícia de Meio Ambiente lança Operação “Curupira”
Forças de segurança protestam por reajuste