[views count="1" print="0"]

MP consegue na Justiça transferir Júri Popular de Manga para Januária

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) conseguiu na Justiça o desaforamento de um julgamento, referente a uma tentativa de homicídio, da comarca de Manga para a de Januária, no Norte de Minas.

O Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) conseguiu na Justiça o desaforamento de um julgamento, referente a uma tentativa de homicídio, da comarca de Manga para a de Januária, no Norte de Minas.

O pedido de mudança do local do Júri levou em conta a influência do réu e de sua família, considerados perigosos na região, conforme relatórios das polícias Civil e Militar, o que poderia interferir na imparcialidade dos julgadores.

Com base no pedido do MPMG, o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) mudou a data e o local do julgamento, que passaram do dia 21 de setembro, em Manga, para 22 de novembro deste ano, em Januária. Nesta data, o Tribunal do júri vai julgar uma tentativa de homicídio ocorrida em 19 de setembro de 2022.

Na ocasião, um dos integrantes da família Chalé desferiu tiro de arma de fogo contra um homem, que, embora ferido seriamente, sobreviveu.

O disparo ocorreu após a vítima e o pai do denunciado discutirem em um evento político. Após essa discussão, o denunciado chamou o homem para conversar numa rua lateral de um bar em Manga.

Com a recusa, o denunciado desferiu um tiro ali mesmo contra o peito da vítima, que, mesmo ferida, conseguiu pilotar sua moto em direção ao Hospital de Manga, a fim de receber socorro médico.

De acordo com a denúncia do MPMG, a tentativa de homicídio ocorreu por motivo torpe e mediante recurso que dificultou a defesa da vítima. E para evitar uma possível intimidação dos jurados, foi pedido a transferência do julgamento de Manga para Januária. Para justificar a mudança, o MPMG usou relatórios das polícias Civil e Militar.

Um dos levantamentos apontou, ao menos, 101 ocorrências envolvendo os membros da família Chalé em tráfico de drogas, ameaças, violência doméstica e homicídios tentados e consumados.

O relatório da Polícia Militar apontou ainda que o denunciado possui diversas passagens policiais pela prática de crimes contra a vida, contra liberdade individual e por porte ilegal de arma de fogo.

E segundo a PM, a família do denunciado causa temor na cidade, em razão do envolvimento em crimes de homicídios, roubos e tráfico de drogas, o que pode comprometer a ordem pública e a imparcialidade dos jurados, em razão do temor das represálias.

De acordo com o Código de Processo Penal (CPP), para garantia da ordem pública, da imparcialidade do júri ou da segurança pessoal do acusado, o Tribunal de Justiça poderá determinar a transferência do julgamento para outra comarca da mesma região. “É necessário preservar a absoluta imparcialidade do julgamento”, afirma trecho do pedido de transferência do local de julgamento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Recomendadas a você

Moradores promovem protesto na MGC-122 neste sábado
Moradores promovem protesto na MGC-122 neste sábado
Crédito do BNB para as micro e pequenas empresas subiu 23%
Crédito do BNB para as micro e pequenas empresas subiu 23%
Câmara da Mulher Empreendedora realiza Café Conexão na terça-feira
Câmara da Mulher Empreendedora realiza Café Conexão na terça-feira
Rede Dr. Laser projeta loja na cidade
Rede Dr. Laser projeta loja na cidade
Barragem do Rio Juramento atinge 100% da capacidade
Barragem do Rio Juramento atinge 100% da capacidade
Cidade aparece bem no Censo do Saneamento
Cidade aparece bem no Censo do Saneamento
XIX Seminário da Mulher Empresária será realizado pela CDL de Montes Claros
XIX Seminário da Mulher Empresária será realizado pela CDL de Montes Claros
Governo acelera programa de regularização fundiária
Governo acelera programa de regularização fundiária
Rotary presta homenagens ao comemorar 30 anos
Dino toma posse como ministro do STF
Cartórios eleitorais do interior estão com telefones alterados
Caixa lança concurso com 2 vagas apenas para M. Claros
ADI questiona artigo do Código de Ética e Disciplina dos Militares de Minas Gerais
Várzea da Palma divulga chamada pública
Prazo para solicitar ou renovar Fies no BNB termina no dia 29
Receita alerta microempreendedor sobre erro na declaração anual
BANNER 2
Rotary presta homenagens ao comemorar 30 anos
Dino toma posse como ministro do STF
Carreta carregada de gesso tomba na Serra de Francisco Sá
Perseguição da PM termina em prisão e recuperação de caminhonete em Patis
Justiça Federal determina retorno de montes-clarense para tratamento em MG