[views count="1" print="0"]

Governo quer aprovar projetos prioritários

Zema busca apoio para adesão a programa da União e privatização de empresas públicas

Com o apoio de 57 deputados e deputadas dos 77 que compõem a Assembleia Legislativa, o governo Romeu Zema, do Novo, articula para aprovar, se possível ainda este ano, duas pautas que considera prioritárias para sua segunda gestão consecutiva: a adesão do Estado ao Regime de Recuperação Fiscal (RRF) da União e a privatização de empresas públicas como as Centrais Elétricas de Minas Gerais (Cemig) e a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa). A oposição no parlamento se posiciona contra os dois projetos.

A Mesa Diretora da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) desarquivou, em Reunião Ordinária de Plenário nessa terça-feira, o Projeto de Lei (PL) 1.202/19, de autoria do governador, que autoriza a adesão do Estado ao Regime de Recuperação Fiscal (RRF) da União. O Parlamento recebeu, ainda, na mesma reunião, mensagem do governador com a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 24/ 2023, que viabiliza a privatização de empresas públicas sem a exigência de se realizar um referendo popular.

O presidente da ALMG, Tadeu Martins Leite, mais conhecido por Tadeuzinho, do MDB, em entrevista coletiva à imprensa, esclareceu que a tramitação do RRF, agora, depende do envio, pelo governador, do Plano de Recuperação Fiscal que teria sido encaminhado, até o momento, apenas para o governo federal.

Sem o conhecimento desse conteúdo, segundo ele, não é possível avaliar em que termos o Executivo pretende renegociar a dívida do Estado com a União, que alcança, hoje, cifras bilionárias. Esse documento deve conter metas, compromissos e o detalhamento das medidas de ajuste a serem implementadas pelo governo estadual, junto a um diagnóstico em que se reconhece a situação de desequilíbrio financeiro.

Já a PEC 24/23, que tramitará paralelamente ao RRF, busca a revogação de dispositivos constitucionais que exigem a realização de referendo popular para proceder à desestatização das empresas públicas do Estado como a Cemig, a Copasa e a Codemig. De acordo com a justificativa do governador, “a medida vai possibilitar a modernização da administração pública, tornando essas empresas mais competitivas”.

Contudo, o presidente da ALMG afirma que “essa é uma decisão a ser construída pelos parlamentares da ALMG”. “Afinal, a medida determina a retirada de mecanismo de participação, de escuta da população”, alerta Tadeu Martins Leite.

POSICIONAMENTOS – Para a deputada Beatriz Cerqueira, do PT, a proposta do governador é antidemocrática. Ela ressalta que a PEC 24/23 exclui os cidadãos de uma decisão que coloca em risco a economia do Estado. Segundo ela, já há uma grande mobilização social para que a proposta seja rejeitada pela Assembleia.

Beatriz Cerqueira também indagou sobre o teor do RRF, como serão tratados, no projeto, os servidores públicos e qual será o impacto nas políticas e nos serviços públicos prestados no Estado. “A população e os seus representantes, na Assembleia, não tiveram acesso a qualquer informação, sempre faltou transparência”, apontou.

Em nota à Imprensa, a Liderança do Governo ressalta que, com a chegada da PEC 24/23 e o desarquivamento do PL 1.202/19 na ALMG, o Governo de Minas caminha em direção a ações que impulsionem o desenvolvimento do Estado, estimulando a eficiência econômica e operacional. “O Estado precisa das alterações propostas e dos impactos positivos que estes projetos trarão para Minas”, diz.

“Sabemos, também, que tanto o RRF quanto os processos que envolvem desestatizações no Estado ainda serão amplamente discutidos na ALMG, e a participação, o diálogo e a construção junto aos parlamentares será fundamental na elaboração de um texto final que atenda aos interesses do povo mineiro”, conclui a nota.

Governo quer aprovar projetos prioritários
Tadeu Martins Leite diz que deputados querem detalhes de projeto do governo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Recomendadas a você

FABIANO VEM REESTRUTURAR PROGRESSISTAS PARA ELEIÇÕES
Fabiano vem reestruturar Progressistas para eleições
Prefeitura tem mais de R$ 364 mi em caixa
Prefeitura tem mais de R$ 364 mi em caixa
Governador de Minas Gerais promove mudança na equipe
Governador de Minas Gerais promove mudança na equipe
Projeto Jequitaí será licitado na Bolsa de Valores
Projeto Jequitaí será licitado na Bolsa de Valores
Prefeitura anuncia mais um pacote de obras
Prefeitura anuncia mais um pacote de obras
Vices firmam aliança para eleições municipais
Vices firmam aliança para eleições municipais
Pacheco garante emenda de R$ 2 milhões para Patis
Pacheco garante emenda de R$ 2 milhões para Patis
Municípios terão recursos para retomar obras paradas
Municípios terão recursos para retomar obras paradas
Relatório do Código Eleitoral deve prever fim da reeleição
STF invalida regra sobre distribuição de sobras eleitorais
Prefeitos convocados para nova mobilização nacional
Prefeituras vão receber capacitação com foco em projetos sustentáveis
Projeto aprovado pelo Senado vai novamente para a Câmara Federal
TSE vai iniciar análise das resoluções na terça
Governo pagará parcelas da dívida com os municípios
Assembleia recebe vetos parciais ao PPAG e ao Orçamento de 2024
BANNER 2
Escola supera marca de quase 700 mil certificações
Jovem preso com drogas em Janaúba
PC conclui inquérito sobre desvio de verbas públicas
Acusado de matar jovem no dia do aniversário pega 16 anos de prisão
Jovem baleado pula muro de casa e é socorrido por populares