[views count="1" print="0"]

Escolas municipais são referência na inclusão de crianças autistas

Todos os dias, ao passar pelo portão do Centro Municipal de Educação Infantil (Cemei) Amiguinhos da Vila, a pequena Rebeca, de 5 anos de idade, abre um belo sorriso.

Todos os dias, ao passar pelo portão do Centro Municipal de Educação Infantil (Cemei) Amiguinhos da Vila, a pequena Rebeca, de 5 anos de idade, abre um belo sorriso. A mãe Gleniele conta que ir para a escola é a maior alegria da filha.

“Quando a Rebeca foi diagnosticada com TEA (transtorno do espectro autista) tivemos a preocupação de como seria ir para escola. Se ela seria aceita, se saberiam lidar com ela. E o acolhimento que ela recebeu no Amiguinhos da Vila, por parte de todos os funcionários e dos coleguinhas, nos deixou tranquilos porque vimos o quanto ela está se desenvolvendo, não só na questão pedagógica, mas também em lidar com suas dificuldades e superá-las. Ela ama ir para as aulas, e quando retorna, conta mil histórias. Não poderia haver um indicativo melhor de que ela está no lugar certo. Somos muito gratos a todos do Cemei pela responsabilidade, cuidado e carinho com minha filha”, agradece.

Rebeca é uma das cerca de 800 crianças autistas, dentre os quase 1500 estudantes com deficiência matriculados no Sistema Municipal de Ensino de Montes Claros. “É um público muito especial e demanda um trabalho educativo organizado e adaptado para atender às suas necessidades”, observa a secretária municipal de Educação, professora Rejane Veloso Rodrigues.

A secretária explica que o Município se estruturou e, hoje, oferta vários serviços para garantir a acessibilidade e a inclusão nas unidades escolares. “O Sistema Municipal de Ensino conta com cerca de 1000 Auxiliares de Docência, além de Psicopedagogos, Psicólogos, Assistentes Sociais, Tradutores e Intérpretes de Libras, Supervisores Educacionais e Professores que atuam com atendimento educacional especializado para assistir os alunos com necessidades educacionais específicas”, explica.

Os serviços da Psicologia e Assistência Social Educacionais que atuam em cada unidade de ensino também realizam acompanhamento no processo educacional, orientação e acolhimento aos alunos e seus familiares, atuando de forma multidisciplinar com a Rede Intersetorial.

Além disso, a secretaria também conta com uma Coordenadoria de Educação Inclusiva formada por equipe multidisciplinar, que desenvolve um trabalho baseado no princípio da individualização do atendimento, buscando atender as necessidades específicas de cada estudante com deficiência.

EDUCAÇÃO PERMANENTE

Rejane Veloso destaca que quando se fala sobre inclusão da criança com autismo na escola de ensino regular, deve-se pensar também no professor, para que ele esteja preparado para receber os alunos. “O professor é um mediador no processo inclusivo. É ele quem promove o contato inicial da criança com a sala de aula e é o responsável por incluí-lo nas atividades com toda a turma”, observa.

Para garantir que o profissional esteja preparado para realizar esse acolhimento, a Secretaria Municipal de Educação mantém um programa de formação permanente. “Não só para os professores, mas para todos os profissionais da escola, para orientar e acompanhar esse processo, buscando garantir, assim, o desenvolvimento da autonomia, da criatividade e da comunicação dos estudantes autistas”, completa.

ESCOLA INCLUSIVA

A secretária Rejane Veloso explica que os espaços físicos das escolas municipais também estão sendo adaptados para receber os alunos com necessidades especiais. “As unidades escolares estão sendo reformadas e ganhando mais salas de aulas, novos quadras, pátios e refeitórios, tudo com acessibilidade, e pintura com cores que trazem calma, equilíbrio e estimulam a criatividade, favorecendo o aprendizado. Já os novos prédios estão sendo construídos com todos os recursos, mobiliário e equipamentos necessários para oferecer uma educação de qualidade e acolher a todos os alunos da maneira adequada”, ressalta.

As escolas também possuem salas com equipadas com recursos multifuncionais garantindo o acesso do aluno a informações que o ajudem a construir seu conhecimento de forma eficiente.

Escolas municipais são referência na inclusão de crianças autistas
A PEQUENA REBECA com a família no parque

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Recomendadas a você

Rotary repassa recursos ao Lar Padre Henrique
Rotary repassa recursos ao Lar Padre Henrique
Cimams quer acelerar reconstrução de ponte
Cimams quer acelerar reconstrução de ponte
Região terá a maior usina solar do país
Região terá a maior usina solar do país
DER vai recuperar ponte interditada na MGC-122
DER vai recuperar ponte interditada na MGC-122
Idoso morre atropelado por carro na avenida João XXIII
Idoso morre atropelado por carro na avenida João XXIII
“Cemig na Praça” chega à cidade
“Cemig na Praça” chega à cidade
Bolsa Família e Auxílio Gás pagam R$ 18,4 mi no município este mês
Bolsa Família e Auxílio Gás pagam R$ 18,4 mi no município este mês
Governo inicia obras de recuperação de rodovia
Governo inicia obras de recuperação de rodovia
ADI questiona artigo do Código de Ética e Disciplina dos Militares de Minas Gerais
Várzea da Palma divulga chamada pública
Prazo para solicitar ou renovar Fies no BNB termina no dia 29
Receita alerta microempreendedor sobre erro na declaração anual
Bombeiros usam técnica de rapel para resgatar corpo em grota em Olhos D´Água
Município de Jaíba assina termos para fortalecer projetos sociais
Instituto Erize abre inscrições gratuitas
Seminário da Mulher Empresária Divinópolis terá Centro de Especialidades será realizado no próximo dia 5
BANNER 2
Rotary repassa recursos ao Lar Padre Henrique
Projeto aprovado pelo Senado vai novamente para a Câmara Federal
PF recaptura condenado a 96 anos que participou da Chacina de Unaí
Mulher baleada no rosto e braço em São João do Paraíso com 38
Retido ônibus com mercadorias avaliada sem R$ 200 mil na BR-135 em Montes Claros