ALMG busca soluções para conviver com a crise climática

Seminário técnico sobre os desafios para minimizar a seca e a chuva extrema será lançado nesta quinta-feira

As secas severas e as chuvas torrenciais são fenômenos climáticos extremos, que vêm se tornando cada vez mais frequentes e intensos, não apenas em Minas Gerais, mas em todo o mundo. Para discutir as políticas públicas necessárias para conviver com essa nova realidade, a Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) realiza, nesta quinta-feira, o lançamento do Seminário Técnico Crise Climática em Minas Gerais – Desafios na Convivência com a Seca e a Chuva Extrema. O evento desta quinta-feira marca o início do compromisso lançado pela ALMG neste ano de discutir tecnicamente a pauta da crise climática no Estado, bem como fomentar projetos de inovação para Minas e definir agenda de trabalho legislativo positiva sobre o tema.

Além da participação de autoridades, especialistas e pesquisadores no lançamento, o Parlamento mineiro, em uma ação inovadora, vai anunciar uma ação de fomento para soluções tecnológicas sustentáveis de iniciativas de startups, universidades e centros de pesquisas voltadas para o enfrentamento da crise climática. Isso se dará por meio de parceria entre a ALMG e o Parque Tecnológico de Belo Horizonte (BH-TEC), para prestação de serviços especializados em gestão da inovação.

Com a parceria, o Parlamento mineiro busca fomentar e contribuir com a identificação e a seleção de soluções tecnológicas e de impacto social para o enfrentamento da crise climática no Estado. O resultado almejado é selecionar, por meio de edital, iniciativas de destaque e inovadoras dos empreendedores participantes, que serão acompanhados por equipes de especialistas e agentes de sustentabilidade e inovação do BH-TEC. Espera-se que as soluções apresentadas para resolver ou mitigar os problemas da crise climática tenham expressivo impacto social.

DEBATES – As atividades desta quinta vão reunir parlamentares e representantes do meio acadêmico para discutir com embasamento técnico os desafios que a crise climática impõe à sociedade mineira e como enfrentar os seus efeitos, que provocam prejuízos econômicos, sociais e ambientais.

O lançamento do seminário pelo presidente da ALMG, deputado Tadeu Martins Leite, o Tadeuzinho, do MDB, será às 9 horas, no Plenário. Após a mesa de abertura, haverá palestra sobre os desafios da crise climática, com a professora Michelle Simões Reboita, do curso de Ciências Atmosféricas da Universidade Federal de Itajubá (Unifei).

Também participam da mesa de debates a integrante da Articulação do Semiárido Mineiro, Aline Silva de Souza; o vice-diretor do Centro de Desenvolvimento e Planejamento da Faculdade de Ciências Econômicas da UFMG (Cedeplar), Bernardo Campolina; o ex-presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas, Marcus Vinícius Polignano; e a engenheira ambiental Ana Paula Bicalho de Melo.

SUBSIDIAR AGENDA – À tarde, a partir das 14 horas, grupos de trabalho se reúnem para discutir uma metodologia e um cronograma para o seminário, que acontece em agosto. Esses grupos, que continuarão se reunindo de abril a junho, serão formados por representantes de universidades, órgãos públicos, entidades da sociedade civil, associações microrregionais e consórcios municipais.

Eles vão reunir avaliações e recomendações para subsidiar uma agenda de atuação da ALMG no aperfeiçoamento e na fiscalização de políticas públicas, centrada em medidas estruturantes que auxiliem na convivência com a seca e a chuva extrema. A discussão deve ser levada ao interior de Minas Gerais, com encontros que vão debater as diferentes realidades das diversas regiões do Estado, entre maio e junho. Depois, o resultado desse trabalho será apresentado e debatido no seminário técnico, cujos desdobramentos serão acompanhados pela ALMG e poderão se transformar em atividades ou matérias que tramitem na Casa legislativa.

Para o presidente da ALMG, a discussão não deve ser focada na busca de soluções emergenciais ou pontuais. O objetivo é viabilizar políticas públicas que promovam ações contínuas, de caráter estruturante de médio e longo prazos, voltadas para o fortalecimento das regiões afetadas pela crise climática. “Nós vamos fazer um trabalho longo, perene, para que, ao final do ano, já tenhamos resultados positivos para amenizar tanto a seca severa que assola parte do Estado quanto os problemas que as fortes chuvas trazem em outras áreas”, afirma.

ALMG busca soluções para conviver com a crise climática
A Assembleia Legislativa busca alternativas para convivência com a crise climática em Minas Gerais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Recomendadas a você

Governo mapeia demandas do mercado de trabalho
Governo mapeia demandas do mercado de trabalho
CIMAMS
Cimams reforça pedido de pavimentação de estrada
Prefeitos pressionam pela rejeição de projeto
Prefeitos pressionam pela rejeição de projeto
Santiago celebra homologação do recapeamento da MGC-496
Santiago celebra homologação do recapeamento da MGC-496
Prefeito oficializa o Termo de Recuperação Fiscal da Esurb
Prefeito oficializa o Termo de Recuperação Fiscal da Esurb
Eleitor tem menos de um mês para regularizar o título
Eleitor tem menos de um mês para regularizar o título
Amams participa de mobilização em Brasília
Amams participa de mobilização em Brasília
Délio assume cadeira na Câmara dos Deputados
Délio assume cadeira na Câmara dos Deputados
Urna eletrônica terá nova voz para eleitores cegos ou com baixa visão
PL apresenta pré-candidato à Maçonaria
Prazo para filiação a partido político acaba neste sábado
Audiência na Assembleia aponta entraves para pacientes em Minas
AMM promove webinário sobre eleições municipais
CNM celebra manutenção da desoneração da folha
Semiárido conta com R$ 17,6bilhões do FNE para 2024
Governo suspende benefício de importadores de leite do estado
Governo mapeia demandas do mercado de trabalho
Lava-jato era usado com o ponto de tráfico de drogas
Recurso vai definir se polícia pode criar site para identificar envolvidos
Vaca cai em reservatório de 4 metros de profundidade
TJMG realiza Mutirões do Júri em comarcas do interior de MG