[views count="1" print="0"]

Sudene participa de seminário sobre desenvolvimento

Debate em Brasília aborda inovação e a sustentabilidade como fundamentais para a redução das desigualdades regionais

“É preciso fazer avançar, mais uma vez, o desenvolvimento econômico e social que crie cidadania e reduza as desigualdades do Nordeste, como aconteceu lá atrás nos outros governos Lula e tem a chance de acontecer agora novamente”, afirmou o superintendente da Sudene, Danilo Cabral, no seminário Desenvolvimento Regional no Brasil: Desafios e Possibilidades para uma Agenda de Inovação e Sustentabilidade Ambiental, realizado no último dia 3. Promovido pelo Ministério da Integração e do Desenvolvimento Regional (MIDR) e pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), o evento fez uma reflexão sobre os novos desafios impostos ao país.

Para Danilo Cabral, o novo projeto nacional de desenvolvimento do Brasil, deve ser baseado na reconstrução de políticas públicas, com a inserção da política de desenvolvimento regional. “O Brasil perdeu, no processo histórico, a capacidade de formulação, de pensar, especialmente nos últimos quatro anos. Agora, temos a oportunidade de juntar esforços e atuar de forma integrada para reduzir desigualdades, respeitando as diferenças regionais”, frisou.

O ministro Waldez Góes, do MIDR, destacou a consolidação da relação entre os atores da agenda de desenvolvimento regional, de forma a atuar de forma sinérgica para reduzir as distorções do país. “Vou reforçar citações do Lula: o compromisso com a democracia, o entendimento das fortes mudanças em relação ao ambiente climático, com impactos sérios no país, e o combate às desigualdades, que é um compromisso que deve ser transversal a todas as políticas públicas”, disse.

A inovação e a sustentabilidade, como destacou o superintendente Danilo Cabral, fazem parte do Plano Regional de Desenvolvimento do Nordeste (PRDNE) como eixos transversais. Este é o principal instrumento de planejamento da Sudene para fortalecer o desenvolvimento da área de atuação da autarquia – nove estados do Nordeste e o norte do Espírito Santo e de Minas Gerais. Ele reúne estratégias e projetos que buscam fortalecer as vocações econômicas da nossa região, além de superar, de forma inovadora e ambientalmente sustentável, os desafios que ainda persistem neste território.

Do ponto de vista territorial, o PRDNE destaca 52 áreas estratégicas, localizadas no entorno das cidades-polo, consideradas centros de atração de investimentos para a indução do desenvolvimento no interior da Região. “A ideia é descentralizar as políticas públicas, interiorizar o desenvolvimento para reduzirmos as desigualdades”, explica Danilo Cabral. Ele ressalta que as chamadas cidades intermediárias também são contempladas no Plano. “Esse instrumento será encaminhado para análise do Congresso Nacional e será uma oportunidade para ampliarmos as discussões em torno do PRDNE, com maior contribuição da sociedade”, completou.

Durante o seminário, foi lançado o livro Desenvolvimento Regional no Brasil – Políticas, estratégias e perspectivas. Também participaram do evento a secretária Nacional de Políticas de Desenvolvimento Regional, Adriana Melo, do MIDR; a presidente do Ipea, Luciana Servo; o presidente do Banco do Nordeste, Paulo Câmara; o presidente da Codevasf, Marcelo Moreira; o gerente de Fomento às Estratégias Ambiental, Social e Governança, Rogério Araújo, da ABDI; além de representantes da Sudam, da Sudeco e do Banco da Amazônia.

Sudene participa de seminário sobre desenvolvimento
Danilo Cabral diz que o novo projeto de desenvolvimento deve ser baseado na reconstrução de políticas públicas, com a inserção da política de desenvolvimento regional

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Recomendadas a você

Governo investe mais de R$ 17 mi na defesa agropecuária
Governo investe mais de R$ 17 mi na defesa agropecuária
Pequenos negócios geraram 9 em cada 10 empregos
Pequenos negócios geraram 9 em cada 10 empregos
Mulheres formam 70% do público do Crediamigo em Minas Gerais
Mulheres formam 70% do público do Crediamigo em Minas Gerais
BDMG reduz as taxas de financiamento para micro e pequenas empresas
BDMG reduz as taxas de financiamento para micro e pequenas empresas
Aplicações do Banco do Nordeste aumentam 25% em Minas Gerais
Aplicações do Banco do Nordeste aumentam 25% em Minas Gerais
Estado registra saldo superior a 140 mil empregos
Estado registra saldo superior a 140 mil empregos
País fechou 2023 com geração de 1.483.598 postos de trabalho
País fechou 2023 com geração de 1.483.598 postos de trabalho
Sebrae abre edital para credenciar empresas de consultoria em Minas
Sebrae abre edital para credenciar empresas de consultoria em Minas
Cerca de 8 milhões de empresas poderão usar o Desenrola
Sicoob estima liberar R$ 7 bi em crédito rural
Banco Central eleva expectativa da inflação
Governo se alia ao Serasa para ampliar o alcance
Inflação de janeiro fica em 0,42%
Projeto cria programa nos moldes do Desenrola Brasil para empresas
Energia solar atinge mais de R$ 184 bi em investimentos
Produção da indústria fecha com alta de 0,2%
BANNER 2
Rotary repassa recursos ao Lar Padre Henrique
Projeto aprovado pelo Senado vai novamente para a Câmara Federal
PF recaptura condenado a 96 anos que participou da Chacina de Unaí
Mulher baleada no rosto e braço em São João do Paraíso com 38
Retido ônibus com mercadorias avaliada sem R$ 200 mil na BR-135 em Montes Claros