PC tem um psicólogo para cada mil servidores e só 3 psiquiatras

“Quando me vi adoecido, com depressão e síndrome de pânico, procurei ajuda dentro da instituição, mas me vi só”.

“Quando me vi adoecido, com depressão e síndrome de pânico, procurei ajuda dentro da instituição, mas me vi só”. O desabafo é do perito criminal da Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG), Erick Souto Guimarães, atualmente em licença para cuidar da saúde mental. O problema denunciado pelo policial não é um caso isolado. Pelo contrário, cada vez mais adoecimentos dentro da segurança pública deixam de ser ocultos.

Esta semana, uma negociação de mais de 30 horas tirou a delegada Monah Zein, de 38 anos, sedada de casa sob cobertura ao vivo da imprensa. Os gritos de socorro denunciam a escassez de profissionais capacitados para acolhimento da corporação: a média é de um psicólogo para cada mil servidores e um psiquiatra para cada 3.666 profissionais para atender todo o Estado. Todos eles lotados no Hospital da Polícia Civil (HPC), em Belo Horizonte.

Os dados foram informados pela PC aos deputados mineiros em plenário. Segundo o delegado Saulo Castro, porta-voz da instituição, 11 psicólogos e três psiquiatras do HPC precisam dar conta das demandas de mais de 11 mil servidores em todo o Estado. Além dos agentes, os profissionais também atendem aposentados e dependentes dos policiais – só de dependentes, são mais de 5 mil.

O relato foi dado pelo servidor em audiência pública ocorrida há cerca de um mês na Assembleia Legislativa de Minas Gerais. Ele contou ainda que a escassez de profissionais em saúde mental forçou o desvio de três policiais – formados em psicologia – para ocuparem a função de psicólogos.

A falta de acolhimento tem como resultado o adoecimento interno e o acúmulo de licenças e desligamentos, segundo o presidente do Sindicato dos Servidores da Polícia Civil do Estado de Minas Gerais (Sindpol/MG), Wemerson Oliveira. A delegada Monah Zein, que atua em Belo Horizonte, é uma das que foi afastada por questões médicas, de acordo com o porta-voz da PCMG.

O QUE DIZ A PCMG? – “A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) inaugurou oficialmente, no dia 10/11, a sede do Centro Biopsicossocial. A unidade, que integra a estrutura do Hospital da instituição, está sediada na Avenida Barbacena, 473, bairro Santo Agostinho, região Centro-Sul de Belo Horizonte, e reúne serviços de atenção integral à saúde, voltados ao bem-estar físico, mental e social dos servidores e de seus dependentes.

Cumpre salientar que, a PCMG realizou, durante o ano, campanhas como o Janeiro Branco e o Setembro Amarelo desenvolvidas com especial enfoque na prevenção ao suicídio e à promoção de condições psicológicas mais saudáveis a todos os servidores.

Também por meio do Hospital da Polícia Civil, a instituição presta atendimento psicológico clínico, em sessões presenciais e também por teleconsulta, para servidores da ativa, aposentados e dependentes, da capital e do interior. A unidade dispõe, ainda, de plantão psicológico, com escuta especializada, sem necessidade de agendamento. Os interessados podem entrar em contato pelo WhatsApp (31) 99807-9670.

A PCMG acompanha de perto os dados sobre saúde mental e eventuais casos de suicídio e outros crimes violentos registrados por meio da Diretoria de Saúde Ocupacional. Contudo, dados estatísticos sobre o tema não são objeto de divulgação, com o intuito de preservar a família das vítimas, garantir o direito à privacidade, evitar alarmismos e análises descontextualizadas sobre casos individuais que possuem motivações multifatoriais.” A Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) também foi procurada, mas não respondeu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Recomendadas a você

TJMG participa do anúncio das obras de quartel dos Bombeiros
TJMG participa do anúncio das obras de quartel dos Bombeiros
Copasa investe R$ 10 milhões em obras de abastecimento de água
Copasa investe R$ 10 milhões em obras de abastecimento de água
Polícia Civil vai investigar incêndio em universidade
Polícia Civil vai investigar incêndio em universidade
Sebrae Minas e APACS realizam 1º Seminário da Cachaça em Salinas
Sebrae Minas e APACS realizam 1º Seminário da Cachaça em Salinas
Congresso da AMM reúne prefeitos
Congresso da AMM reúne prefeitos
Setenta mulheres são capacitadas para montagem de trackers solares
Setenta mulheres são capacitadas para montagem de trackers solares
Copasa garante recursos para universalizar saneamento
Copasa garante recursos para universalizar saneamento
Sexagenário desaparecido é encontrado em Bocaiúva
Sexagenário desaparecido é encontrado em Bocaiúva
Dirigentes se reúnem para votar porte de arma para advogados
Ocorrências de queimadas mais que dobraram em um mês em MG
Posto do Sine disponibiliza 92 vagas de empregos na cidade
CBM anuncia concurso com 329 vagas em Minas
Comunidades recebem Programa Água Doce
Município adia início do prazo de inscrições para o dia 1º de julho
Adolescente chama bombeiros ao ver cobra em refrigerador
Sudene quer criar Rede para fomentar inovação na região
PC alerta para notícias falsas sobre carteira de identidade
TJMG participa do anúncio das obras de quartel dos Bombeiros
Polícia Civil lança site sobre desaparecimento de pessoas
Polícia de Meio Ambiente lança Operação “Curupira”
Forças de segurança protestam por reajuste