Ministério lança projeto na região

Dezenas de profissionais de saúde e lideranças do Norte de Minas participaram, nos últimos dias 7 e 8, do lançamento do Projeto IntegraChagas Brasil nos municípios de Porteirinha e Espinosa.

Dezenas de profissionais de saúde e lideranças do Norte de Minas participaram, nos últimos dias 7 e 8, do lançamento do Projeto IntegraChagas Brasil nos municípios de Porteirinha e Espinosa. Trata-se de iniciativa estratégica do Ministério da Saúde, que visa diagnosticar a doença de Chagas a partir de teste rápido desenvolvido pelo Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos), unidade da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro.

Por meio da Superintendência Regional de Saúde de Montes Claros (SRS), o Projeto conta com a participação da Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais (SES-MG), com o objetivo de ampliar o acesso da população ao diagnóstico rápido e cuidado para a doença de Chagas por meio do Sistema Único de Saúde (SUS). Os trabalhos terão envolvimento direto dos profissionais dos serviços municipais de atenção primária à saúde.

Através da qualificação da rede de atenção à saúde, o objetivo do Ministério da Saúde é estabelecer um percurso assistencial padronizado, com foco em ações de promoção da saúde, prevenção, tratamento e reabilitação de pacientes acometidos pela doença. Nesse contexto, Porteirinha e Espinosa foram incluídos entre os cinco municípios prioritários para a execução do IntegraChagas Brasil. As demais localidades participantes do Projeto são: Iguaracy (Pernambuco); São Luiz de Montes Belos (Goiás) e São Desidério (Bahia).

Coordenador-geral de Vigilância de Zoonoses e Doenças de Transmissão Vetorial da Secretaria de Vigilância à Saúde do Ministério da Saúde, Francisco Edilson Ferreira de Lima Júnior, apresentou o IntegraChagas nas duas cerimônias. “O projeto é uma pesquisa estratégica do Ministério da Saúde, sob a coordenação do Instituto Nacional de Infectologia da Fundação Oswaldo Cruz (INI/Fiocruz) e da Universidade Federal do Ceará (UFC), em estreita parceria com estados e municípios envolvidos. Esta é uma iniciativa que busca integrar ações em um movimento para diagnosticar e cuidar das pessoas acometidas pela doença de Chagas a partir da Atenção Primária à Saúde”, explicou Francisco Edilson.

LANÇAMENTO – O lançamento do Projeto no Norte de Minas aconteceu após a realização, no período de 26 de fevereiro a 5 de março, da Semana de Formação em Doença de Chagas. Com a oferta de mais de 200 vagas para profissionais de saúde, as atividades contemplaram quatro áreas: Teste Rápido e Aconselhamento em doença de Chagas, implementado por profissionais do Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos Bio-Manguinhos; Universidade Federal da Bahia (UFBA) e Universidade Federal do Ceará (UFC); Processo de Trabalho no Território, em parceria com UFBA e UFC; Manejo Clínico em Doença de Chagas, conduzido pelo Instituto Nacional de Infectologia da Fiocruz e UFC; e Cuidado e Aconselhamento em Doença de Chagas no Território, em parceria com UFBA e UFC.

Em Porteirinha, a superintendente regional de saúde de Montes Claros, Dhyeime Thauanne Pereira Marques observou que “o fato de ser pioneiro, o Projeto traz boas perspectivas para o Norte de Minas, pois o próprio nome do projeto traduz a sua essência: integração. Nós sabemos o quanto é importante esse trabalho conjunto entre vigilância em saúde e atenção primária, pautado na integralidade do cuidado à pessoa usuária do SUS”.

Desde a fase de articulação com os municípios para a implantação do IntegraChagas no Norte de Minas, a SRS de Montes Claros conta com a participação das referências técnicas da Coordenadoria de Vigilância Epidemiológica e de Saúde, Nilce Almeida Lima Fagundes e Bartolomeu Teixeira Lopes, além de Núbia Pereira da Silva, referência técnica do Laboratório Macrorregional do Norte de Minas, mantido pela SES-MG.

Dirigentes destacam a importância da educação no combate à doença

Coordenador geral do Projeto IntegraChagas Brasil, Alberto Novaes Ramos Júnior observou que “a partir do lançamento, espera-se contribuir com a construção participativa de uma resposta brasileira à doença de Chagas, proporcionando interfaces ainda mais realistas entre vigilância e cuidado nas redes de atenção do SUS, a partir de ações sustentáveis, centradas e ordenadas pela atenção primária, em coerência com a Política Nacional de Saúde”.

Já a presidente da Associação de Chagas da Bahia e membro do Fórum Social Brasileiro para o Enfrentamento de Doenças Infecciosas Negligenciadas, Amélia Bispo, falou da importância da educação para o enfrentamento à doença. “Nós todos devemos nos comprometer em educar as crianças, orientar sobre os cuidados com a alimentação e a casa, porque não é só do remédio que precisamos. Nós precisamos educar as pessoas para prevenir a doença de Chagas. Os gestores precisam investir no atendimento de saúde para essas pessoas”, pontuou a presidente.

DIAGNÓSTICO – Atualmente a confirmação laboratorial da doença de Chagas é feita por exames parasitológicos, que buscam observar o parasito Trypanosoma cruzi em amostras de sangue. “Em comparação, o teste molecular desenvolvido pela Fiocruz é mais sensível, pois consegue identificar a infecção mesmo com o fragmento de um parasito na amostra, o que não é possível no exame parasitológico”, observa Constança Felícia Britto, coordenadora do Laboratório de Biologia Molecular e Doenças Endêmicas do Instituto Oswaldo Cruz.

A identificação do Trypanosoma cruzi com o Kit NAT Chagas também é feita a partir de amostras de sangue. O procedimento demora entre quatro a cinco horas e pode ser executado em qualquer laboratório equipado para aplicar a metodologia PCR. Isso permite a descentralização do diagnóstico e agilidade na obtenção de resultados, além da padronização dos testes utilizados em diferentes centros.

Devido à alta sensibilidade e especificidade, o diagnóstico molecular pode trazer avanços para a identificação de casos agudos de doença de Chagas, especialmente em recém-nascidos, que podem contrair a infecção durante a gestação ou no parto, quando a mãe é portadora do Trypanosoma cruzi. A doença também pode ser diagnosticada durante surtos de infecção oral, que atualmente constituem a forma mais comum de transmissão devido à ingestão de alimentos contaminados.

“Esperamos que o Kit NAT Chagas possa aumentar o acesso ao diagnóstico e, consequentemente, ao tratamento das pessoas com doença de Chagas, que são negligenciadas e têm dificuldade de acesso à saúde”, pontua Constança Britto.

Ministério lança projeto na região
UM GRANDE número de profissionais participou do lançamento do projeto em Porteirinha

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Recomendadas a você

SRS conclui oficina com foco na atenção primária e assistência às gestantes
SRS conclui oficina com foco na atenção primária e assistência às gestantes
Secretaria mobiliza municípios para vacinação
Secretaria mobiliza municípios para vacinação
Buritizeiro utiliza drone em ações de combate ao mosquito
Buritizeiro utiliza drone em ações de combate ao mosquito
Arcebispo visita o HUCF e exalta a importância da espiritualidade
Arcebispo visita o HUCF e exalta a importância da espiritualidade
SES-MG alerta municípios para a importância do diagnóstico correto das arboviroses
SES-MG alerta municípios para a importância do diagnóstico correto das arboviroses
Janaúba apresenta plano de atendimento
Janaúba apresenta plano de atendimento
Profissionais são atualizados sobre diagnóstico da doença
Profissionais são atualizados sobre diagnóstico da doença
Estudantes produzem repelente natural para ajudar no combate
Estudantes produzem repelente natural para ajudar no combate
CRAS realiza campanha nas escolas da sede e zona rural para conscientizar mulheres
Guerra contra o Aedes aegypti chega ao Planalto nesta quinta
Comissão de Saúde é favorável a uso de bactéria no combate à dengue
Unicef faz apelo aos municípios para a vacinação dos estudantes
Consumo de serviços de saúde avança 10,3% após pandemia
Inscrições para o Concurso da Saúde terminam nesta quinta
Mutirão de Prevenção do Câncer será nesta sexta
Modernização do SUS fácil pauta audiência na Assembleia Legislativa
Governo mapeia demandas do mercado de trabalho
Lava-jato era usado com o ponto de tráfico de drogas
Recurso vai definir se polícia pode criar site para identificar envolvidos
Vaca cai em reservatório de 4 metros de profundidade
TJMG realiza Mutirões do Júri em comarcas do interior de MG