IFNMG terá curso em Educação Escolar Quilombola pelo Parfor

O Instituto Federal do Norte de Minas Gerais (IFNMG) foi contemplado com a aprovação da proposta para implementar a Licenciatura em Educação Escolar Quilombola pelo Programa Nacional de Fomento à Equidade na Formação de Professores da Educação Básica (Parfor Equidade).

O Instituto Federal do Norte de Minas Gerais (IFNMG) foi contemplado com a aprovação da proposta para implementar a Licenciatura em Educação Escolar Quilombola pelo Programa Nacional de Fomento à Equidade na Formação de Professores da Educação Básica (Parfor Equidade). O resultado foi divulgado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) no último dia 15. Serão 60 vagas, a serem ofertadas nos polos de Januária e Janaúba.

O objetivo do programa é aperfeiçoar a prática docente na educação básica por meio de oferta de licenciaturas específicas, sobretudo nas escolas e comunidades que possuem educação escolar indígena, quilombola, do campo e educação inclusiva e bilíngüe. A proposta aprovada foi construída de modo dialógico pelo IFNMG, por meio de comissão que teve representantes do Núcleo de Estudos, Pesquisa e Extensão Afro-Brasileiros e Indígenas (Neabi) Central e da Pró-Reitoria de Ensino, com a Federação das Comunidades Quilombolas do Estado de Minas Gerais (N’ Golo).

O professor Johnisson Xavier Silva, integrante da comissão que concebeu a proposta do curso, lembra que as regiões Norte de Minas Gerais e os Vales do Jequitinhonha e do Mucuri, que estão na área de abrangência do IFNMG, possuem uma das maiores incidências de populações quilombolas do Brasil.

Apesar disso, segundo ele, a educação territorializada, diferenciada e intercultural que se paute no respeito à especificidade dos saberes e tecnologias, processos de territorialização, práticas culturais e lutas nas comunidades remanescentes de quilombo, como é estabelecido nas Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação Escolar Quilombola (2012), é ainda uma prática distante dos processos de ensino e aprendizagem nas escolas quilombolas.

Sendo assim, “o IFNMG se alia à luta das comunidades quilombolas para construir uma educação mais diversa e justa, que está atenta às necessidades e especificidades das populações quilombolas”, enfatiza o professor.

O CURSO – A próxima etapa para implantação do curso é o processo de seleção de alunos, ainda sem data marcada para acontecer. De acordo com o cronograma do edital do Parfor Equidade, o prazo para início é até 31 de agosto deste ano. O curso será ofertado na modalidade presencial, com duração de quatro ano. Poderão se matricular professores da rede pública de educação básica, das redes de formação por alternância, e o público de demanda social (cota). Os estudantes matriculados no curso farão jus à bolsa de estudos, no valor de R$ 700 reais.

Além dos professores do IFNMG, mestres tradicionais de saberes reconhecidos por organização quilombola, no âmbito de sua comunidade, poderão atuar como formadores convidados, ministrando atividades e disciplinas específicas. Em breve, o IFNMG divulgará mais informações sobre a seleção de alunos e matrículas no curso de Licenciatura em Educação Escolar Quilombola.

IFNMG terá curso em Educação Escolar Quilombola pelo Parfor
O NOVO curso do IFNMG será ministrado também no polo de Janaúba

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Recomendadas a você

Minas promove educação inclusiva nas 47 regionais de ensino
Minas promove educação inclusiva nas 47 regionais de ensino
IFNMG-Campus Salinas atua como primeiro Centro Colaborador
IFNMG-Campus Salinas atua como primeiro Centro Colaborador
Mostra Sua UFMG Montes Claros terá mais de 2,6 mil participantes
Mostra Sua UFMG Montes Claros terá mais de 2,6 mil participantes
O bom desempenho da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes) no Índice Geral de Cursos (IGC), medido pelo Ministério da Educação (MEC), por meio do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), foi enaltecido pelo governador Romeu Zema, do Novo. A qualidade do ensino teve a qualidade do ensino reconhecida com o recebimento do conceito 4 no IGC, que varia de 1 a 5. Em mensagem de vídeo, o governador destaca que o resultado da avaliação realizada pelo MEC, relativa a 2022, é uma demonstração da qualidade do ensino na Unimontes. “Eu fico muito feliz com esse resultado”, afirmou o governador. “Isso só reforça a qualidade de ensino que a Unimontes oferece e que foi considerada de excelência, nível que é alcançado por pouco mais do que 27% das instituições de ensino superior do Brasil”, declarou o governador. Esse reconhecimento, com toda certeza, é resultado do empenho da Unimontes na aplicação de metodologias inovadoras na qualificação continuada do corpo docente e também na ampliação das políticas de assistência estudantil e dos projetos de pesquisa. Por todo esse trabalho e por essa grande conquista, ficam aqui os meus parabéns a todos que compõem a Unimontes. Os alunos, professores e servidores”, afirmou o governador. A boa avaliação da Universidade no IGC/2022 também foi enaltecida pelo reitor da Unimontes, professor Wagner de Paulo Santiago. Ele lembrou que o percentual de 27,7% das instituições de ensino superior brasileiras obteve as notas 4 e 5 na avaliação promovida pelo MEC. “Com o conceito alcançado, a Unimontes ficou entre as melhores universidades do país, em um nível de excelência. Isso é um mérito dos nossos professores, alunos e servidores técnico-administrativos, os quais cumprimentamos por esse feito extraordinário”, observou o reitor. Ao comentar sobre a importância do desempenho da Unimontes na avaliação do MEC, o reitor Wagner de Paulo Santiago também ressaltou o apoio do Governo do Estado que também contribui para o resultado no IGC. “Na oportunidade, agradecemos o empenho de todo a equipe do Governo do Estado, nas pessoas do governador Romeu Zema e do vice-governador Mateus Simões, que não tem medidos esforços para atender as demandas da nossa universidade”, afirmou. Por sua vez, a presidente da Comissão Própria de Avaliação (CPA) da Unimontes, professora Viviane Carrasco, salienta que a boa posição da instituição no sistema avaliativo do MEC é uma conquista coletiva, envolvendo toda a comunidade acadêmica, e serve como referência para a universidade aprimorar suas ações. “Trata-se de um reconhecimento à instituição, fortalecendo o seu compromisso de seguir as diretrizes de educação no país segundo o INEP/ MEC, buscando melhorias para ensino, pesquisa e extensão de excelência”, afirma a educadora.
Governador destaca desempenho da Unimontes
IFNMG inicia em Salinas a operação do Centro Colaborador de análises laboratoriais
IFNMG inicia em Salinas a operação do Centro Colaborador de análises laboratoriais
IFNMG abre as inscrições para a Olimpíada Brasileira de Robótica
IFNMG abre as inscrições para a Olimpíada Brasileira de Robótica
Proerd promove campanha de combate ao bullying no ambiente escolar
Proerd promove campanha de combate ao bullying no ambiente escolar
Mostra Sua UFMG no campus Montes Claros será no dia 13
Mostra Sua UFMG no campus Montes Claros será no dia 13
Unimontes empossa 52 servidores classificados no concurso público
Abertas inscrições para pré-vestibular municipal
Governo publica último lote de nomeações de excedentes
Servidores federais de educação paralisam suas atividades em 360 unidades de ensino
Unimontes recebe nota 4 em avaliação do Inep
IFNMG-Campus Januária abre inscrições
O promotor de justiça Paulo Cesar Dias, o juiz da Comarca, Marcos Antônio Ferreira, e a servidora do Cejusc Rosane Rabelo
Parfor Equidade vai abrir 100 vagas pelo IFNMG e Unimontes
Emater investe R$ 2,6 mi em qualificação de colaboradores
Reforço na fiscalização ambiental em Minas
Dupla detida suspeita de tráfico de drogas
Homem condenado a 14anos de prisão por homicídio
Pássaros da fauna silvestre apreendidos