Cidade obtém superávit de 673 empregos

A geração de empregos formais em Montes Claros voltou a crescer pelo terceiro mês seguido, após encerrar janeiro com déficit de 3 postos.

A geração de empregos formais em Montes Claros voltou a crescer pelo terceiro mês seguido, após encerrar janeiro com déficit de 3 postos. Com o fechamento de abril no azul, o município concluiu o primeiro quadrimestre do ano com superávit de 673 empregos com carteira assinada (0,72%), resultado da combinação de 18.062 admissões contra 17.389 demissões. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), divulgado nessa quarta-feira (29/5). Com isso, o estoque chegou à marca de 94.133 trabalhadores formais empregados em Montes Claros.

Em abril, foram feitas 4.633 contratações ante a 4.251 desligamentos e superávit de 383 postos no mercado de trabalho (0,41%). Entre os homens, foram 2.602 admissões contra 2.394 afastamentos e saldo de 208 empregos. No quaro mês do ano, 2.031 mulheres foram contratadas, com 1.857 demissões e superávit de 174 empregos. Ao contrário do que vinha ocorrendo anteriormente, todos os segmentos fecharam abril no azul. Destaque mais uma vez para o setor de Serviços, com 2.476 admissões contra 2.218 demissões e saldo de 258 empregos formais (0,53%).

A Indústria da Transformação, que vinha sendo a grande frustração desde 2023, teve o segundo melhor saldo de abril. A atividade contratou 503 operários e desligou 457, com superávit de 46 postos (0,40%). Por sua vez, a Construção Civil fez 521 admissões contra 488 afastamentos e saldo de 33 empregos (0,52%). A Agropecuária, que também vinha tendo pífios desempenhos na abertura de postos, encerrou abril com 124 ocupações contra 98 desligamentos e saldo de 26 postos (1,01%). Em volume de contratações, o Comércio também se destacou, com 1.009 admissões, mas também fez muitas demissões: 990, com saldo de 19 vagas (0,08%).

DESEMPENHO ANUAL

No primeiro quadrimestre, destaque mais uma vez para o setor de Serviços, com 10.135 contratações ante a 8.858 demissões e superávit de 1.200 empregos com carteira assinada (2,50%). Em seguida, vem a Construção Civil, com 2.228 admissões contra 1.763 afastamentos e saldo de 525 postos de trabalho (8,93%). A Agropecuária também encerrou o período no azul. Foram 419 contratações ante a 415 desligamentos e saldo de 4 empregos (0,15%).

Já o Comércio fechou o quadrimestre no vermelho. Foram 3.951 admissões contra 4.119 desocupações e déficit de 168 postos (- 0,69%). A Indústria da Transformação continua devendo. De janeiro a abril, contratou apenas 1.346 operários e demitiu 2.234, com déficit de 888 empregos formais (-7,08%). No primeiro quadrimestre, foram contratados 10.135 homens ante a 9.783 demissões e saldo de 352 empregos. Já entre as mulheres, foram 7.927 admissões contra 7.606 e superávit de 321 postos.

ESTOQUE

Com o fechamento de abril, Montes Claros alcançou o estoque de 94.133 trabalhadores empregados com carteira assinada. O setor de Serviços lidera com estoque de 49.203 empregos, seguido pelo Comércio (24.275), Indústria da Transformação (11.652), Construção Civil (6.403) e Agropecuária (2.600 postos ocupados).

Brasil alcançou o saldo de 240 mil empregos no mês de abril

O Brasil fechou o mês de abril com saldo positivo de 240.033 empregos com carteira assinada. O balanço é do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged) divulgado nessa quarta-feira (29) pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). O resultado de abril decorreu de 2.260.439 admissões e de 2.020.406 desligamentos. No acumulado do ano de janeiro/2024 a abril/2024, o saldo foi positivo em 958.425 empregos, resultado de 8.904.070 admissões e 7.945.645 desligamentos.

Já nos últimos 12 meses, de maio/2023 a abril/2024, foi registrado saldo de 1.701.950 empregos, decorrente de 24.179.955 admissões e de 22.478.005 desligamentos. Em relação ao estoque, ou seja, a quantidade total de vínculos celetistas ativos, o país registrou, em abril, um saldo de 46.475.700 vínculos, uma variação de 0,52% em relação ao estoque do mês anterior.

O maior crescimento do emprego formal no mês de abril ocorreu no setor de serviços, com a criação de 138.309 postos. Na indústria, foram 35.990 postos, concentrados na indústria da transformação. Na construção, foram 31.893 postos; no comércio, 27.272 postos; e agropecuária, 6.576 postos.

SALÁRIO

O salário médio de admissão foi R$ 2.126,16. Comparado ao mês anterior, houve aumento real de R$ 36,96, uma variação positiva de 1,77%. A maioria das vagas criadas no mês de abril foram preenchidas por homens (129.116). As mulheres ocuparam 110.917 vagas. A faixa etária com maior saldo foi de 18 a 24 anos, com 128.893 postos. O ensino médio completo apresentou saldo de 175.570 postos. No saldo por faixa salarial, a faixa de até 1,5 salário mínimo registrou 169.400 postos. Em relação à raça/ cor, a parda obteve o saldo de 217.717 postos.

REGIÕES

Todas as regiões do país tiveram saldo positivo na geração de emprego no mês passado. No Sudeste, foram 126.411 postos, variação positiva de 0,54% em relação a março. No Sul, foram 45.001 postos (0,53%); no Centro-Oeste, foram 24.408 postos (0,59%). O Nordeste somou 23.667 postos (0,31%); e o Norte, 15.745 postos (0,68%). Em termos relativos, os estados com maior variação na criação de empregos em relação ao estoque do mês anterior são Acre, com a abertura de 1.267 postos, aumento de 1,2%; Amapá, que criou 902 vagas (1,02%); e Espírito Santo Piauí, com saldo positivo de 8.167 postos (0,92%).

As unidades federativas que tiveram menor variação relativa em relação ao estoque do mês anterior foram: Alagoas: menos 1.607 postos (0,37%); Pernambuco: 1.103 postos (0,08%); e Rondônia: mais 724 postos (0,25%). Em termos absolutos, as unidades da federação com maior saldo no mês passado foram São Paulo, com 76.299 postos (0,54%); Minas Gerais, com 25.868 vagas criadas (0,53%); e Paraná, com a geração de 18.032 postos (0,57%). As unidades federativas com menor saldo foram: Alagoas: 1.607 postos (0,37%); Pernambuco: 1.103 postos (0,08%); Roraima: mais 480 postos (0,61%).

Cidade obtém superávit de 673 empregos
O SETOR de Serviços, que envolve os meios de transportes, lidera a geração e estoques de empregos em Montes Claros

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Recomendadas a você

Conab promove o fortalecimento da biodiversidade brasileira
Conab promove o fortalecimento da biodiversidade brasileira
3º Festival gastronômico e cultural valoriza sabores e saberes do sertão mineiro
3º Festival gastronômico e cultural valoriza sabores e saberes do sertão mineiro
Quatro projetos de APLs do Norte receberão recursos da Fapemig
Quatro projetos de APLs do Norte receberão recursos da Fapemig
Artesãos movimentam R$ 115 mil em vendas
Artesãos movimentam R$ 115 mil em vendas
Minas tem novo avanço em energia solar
Minas tem novo avanço em energia solar
Rodas de conversas são realizadas em várias comunidades rurais de Monte Azul
Rodas de conversas são realizadas em várias comunidades rurais de Monte Azul
DLI oferece descontos em produtos e serviços
DLI oferece desconto sem produtos e serviços
Projeto sobre a política de agricultura irrigada gera divergências
Projeto sobre a política de agricultura irrigada gera divergências
Cresce o mercado pet no Estado
Minas tem saldo positivo na geração de empregos
Programa Moeda Pública é uma das soluções desenvolvidas pelo Sebrae
Perfil de venda atrai consumidor
Oito em cada 10 empresários mineiros são impactados pela estação de inverno
Desafios enfrentados pelas fazendas leiteiras contra a mastite
Mais de 300 pessoas já foram capacitadas pelo Norte Empreendedor em menos de dois meses
Dia do apicultor comemorado com boas perspectivas e muitos desafios
PC alerta para notícias falsas sobre carteira de identidade
TJMG participa do anúncio das obras de quartel dos Bombeiros
Polícia Civil lança site sobre desaparecimento de pessoas
Polícia de Meio Ambiente lança Operação “Curupira”
Forças de segurança protestam por reajuste